MARIÁPORTUGAL_por_Filipe_Franco2.jpg

MARIÁ PORTUGAL (BR)

Baterista, produtora e compositora Mariá Portugal (Quartabê, Arrigo Barnabé) apresenta seu primeiro trabalho solo, que mostra parte do processo criativo do seu primeiro disco, a ser lançado ainda em 2019. O show, bem como o disco, parte inteiramente de improvisações em cima de canções autorais. Sempre contando com uma formação inédita de improvisadores. Com Paulo Braga (piano), Joana Queiroz (clarinete, clarone e voz), Filipe Nader (sax), Rui Barossi (contrabaixo).

06.09. 21h30.  abertura imprô. estudio bixiga (sp)

07.09. 21h. + joëlle leandre e thomas rohrer. estudio bixiga (sp)

FLAVIO LAZZARIN, CADÓS SANCHEZ, FLORA HOLDERBAUM (BR)

Jogo, improviso, explorações e brincadeira é o que propõe o trio  Flavio Lazzarin na bateria eletrificada (SP), Cadós Sanchez com sua liga do tempo II (SP) e Flora Holderbaum no violino e voz (SP). Flavio Lazzarin baterista, improvisador e compositor da região do ABC Paulista passeia em experimentações com sua bateria amplificada. Cadós Sanchez é trapaceiro nato em São Paulo, inventor de histórias, jogos, instalações, brincadeiras, objetos e instrumentos que procuram explorar a partir do sonoro, todas as outras linguagens com que se cruzam. Flora Holderbaum junta o violino com a voz e movimentos corporais: gesto, som e espacialidade, vocalidades estendidas, batimentos, micro vozes, são alguns elementos a provocar. 

07.09. 20h. estudio bixiga (sp)

JoelleLéandreHD_(c)christophe_Charpenel.

JOËLLE LEANDRE (FR)

Pela primeira vez no Brasil a contrabaixista francesa e vocalista Joëlle Leandre é uma lenda do free jazz.  Sua discografia é tão longa e impressionante quanto sua lista de colaborações com artistas como Merce Cunningham e John Cage. Ela já tocou com alguns dos principais músicos de jazz do mundo, incluindo John Zorn, George Lewis e Anthony Braxton.

07.09. 21h. + thomas rohrer e mariá portugal. estudio bixiga (sp)

08.09. 17h. solo. estudio bixiga (sp)

JUÇARA MARÇAL, KIKO DINUCCI, THOMAS ROHRER, MAURICIO TAKARA (BR)

Esse quarteto mistura punk, imprô livre, eletrônica, música brasileira e alguns  outros temperos. Marçal usa sua potente voz como instrumento musical fora do formato canção, Rohrer explora a rabeca além de sua sonoridade convencional da música regional brasileira e coloca também algumas pitadas de saxofone soprano, Takara na bateria e eletrônicos é um dos artistas mais inventivos da cena experimental paulistana, Dinucci na guitarra se expressa de forma plural e  trafega por vários estilos que vão do punk ao samba.

 

07.09. 22h. estudio bixiga (sp)

NANATI FRANCISCHINI, LUIZ GALVÃO, LELLO BEZERRA E CHRISTOPHER MACK (BR)

Um encontro guitarrístico inédito que penetra as diferentes bagagens sonoras de Nanati Francichini (SP), Luiz Galvão (SP), Christopher Mack (SLD) e Lello Bezerra (PE). Nanati Francischini é guitarrista e performer, interessa-se pelas possíveis subversões da relação corpóreo-instrumental e pela associação de objetos ordinários à guitarra elétrica.  Luiz Galvão é guitarrista, compositor, arranjador e improvisador. Lello Bezerra é guitarrista com harmonizers geradores de subs grave, graves e altas freqüências, loops em reverse e formas musicais com cortes brutos e mudanças de ambiente. Christopher Mack é guitarrista e compositor escocês que vem da cena ‘faça você mesmo’ de Glasgow, sua abordagem decorre de explorações de afinações.

08.09. 19h. estudio bixiga (sp)

bella__.png

BELLA (BR)

Nascida no Rio de Janeiro, vive em São Paulo. Seu trabalho consiste em apagar as fronteiras entre som e espaço a partir de uma performance voltada para os movimentos imperceptíveis da realidade. Vem desenvolvendo projetos que exploram as relações entre aspectos físicos e conceituais da matéria/som.  Trabalha frequentemente com colaborações, relacionando o som com dança , artes visuais e multimidias.

13.09. 21h.  + mette rasmussen . estudio bixiga (sp)

15.09. 15h.  experimentações sonoras para crianças - sesc 24 de maio

spio_casadasrosas.jpg

SPIO ORQUESTRA (BR)

A SPIO ORQUESTRA embarca no universo de transculturação antropofágica e mistura elementos étnicos e hibridismos culturais. Aparatos eletrônicos se mesclam a luthierias de invenção e instrumentação clássica de orquestra em abordagens expandidas, norteados por orquestração dirigida de um método de condução próprio o “Gume de Fluência”, que se firma como pilar do novo trabalho. Formada em 2011, retornou a atividade no final de 2017, e envolve músicos e artistas sonoros de diversas trajetórias e estilos, também abarca artistas de outras disciplinas como dança, poesia, artes visuais entre outras manifestações artísticas.

13.09. 22h. estudio bixiga (sp)

Captura_de_Tela_2019-05-27_às_17.28.34.p

METTE RASMUSSEN (NO/DK)

A sua habilidade de se mover entre os limites dos gêneros e explorar os elementos fica em evidência completa. No seu projeto solo ou  com colaboradores, ela encapsulou sua própria visão pessoal do papel do saxofone, muitas vezes transformando-o em uma experiência física completa. Abraçando o público com altitude sonora e prolíficas linhas de melodia, disparando uma base mais prosaica. Suas performances unem público e artista e evolvendo a energia entre os dois.

12.09. 21h. solo. audio rebel (rj)

13.09. 21h. + bella. estudio bixiga (sp)

14.09. 22h. + rakta. estudio bixiga (sp)

RÁDIO_DIÁSPORA__foto_Leila_Monsegur.JPG

RADIO DIASPORA  convida PAOLA RIBEIRO (BR)

O Duo formado por Rômulo Alexis (Trompete, Flautas e Voz)  e Wagner Ramos (Bateria e Eletrônicos)
 conjuga o verbo sonoro da diáspora africana através dos experimentalismos do Free Jazz
 e da Livre Improvisação, desenvolvendo zonas de intensidade sonora e uma dilatação dos signos da negritude, seus códigos sonoros, vocais, físicos, polirítmicos, polifônicos, que se espalharam pelo mundo em um fluxo marcado por expropriação, genocídio, escravismo e sobretudo resistência e invenção. Neste concerto eles vem acompanhados de Paola Ribeiros na voz.

14.09. 20h. estudio bixiga (sp)

Captura_de_Tela_2019-05-27_às_17.28.43.p

RAKTA (BR)

Formado por Carla Boregas, Paula Rebellato e Mauricio Takara, o som do Rakta é difícil de rotular, mas é uma mistura de Pós Punk, Psicodelia, Música Experimental e Kraut Rock. Sua discografia conta com 3 Lps, 5 compactos e várias fitas cassete que foram lançados no Brasil, EUA, Alemanha, Inglaterra, Espanha e Japão.Já tocaram em todos esses países além de Canada, México, Colômbia, Peru, Uruguai, Argentina e grande parte da Europa.

14.09. 22h. + mette rasmussen

ANGELIKA NIESCIER (DE) E ARTHUR DECLOEDT (BR)

A criativa e apaixonada Saxofonista, Angelika Niescier (DE) está completamente estabelecida na cena musical Europeia e transcontinental. A bandleader e compositora criou um estilo genuíno só dela unificando: composições modernas, incomuns e improvisação intensiva. Ela tem um desejo imparável pelo desenvolvimento artístico e pela troca, o que fez sua jornada musical rica em encontros inspiracionais com músicos do mundo todo. Arthur Decloedt é contrabaixista, produtor e compositor.Divide seu tempo entre trilhas sonoras para cinema, tv, teatro e dança e participando regularmente como contrabaixista, compositor e arranjador à nova cena independente de canção e música experimental de São Paulo. 

14.09. 21h. estudio bixiga (sp)

PANDA GIANFRATTI (BR)  E

PHILIPSOMERVELL (CL/UK/BR)

Antonio Panda Gianfratti percussionista contemporâneo que se dedica a improvisação livre musical há muitos anos. Seu trabalho de percussão consiste no desenvolvimento timbrístico através do uso de arco em pratos em cima de tambores, vibrafone preparado e violoncelo assim como nos instrumentos que projeta ou transforma. Philip Somervell é pianista e educador inglês-chileno baseado em São Paulo desde 2014. Trabalha no campo da música experimental e a improvisação, baseando-se em uma investigação contínua do potencial sonoro do piano. 

08.09. 18h. estudio bixiga (sp)